Valina – O aminoácido para a saúde muscular

A valina é um aminoácido de cadeia ramificada da família da leucina e da isoleucina. Em conjunto, estes três aminoácidos constituem cerca de 35% dos aminoácidos presentes nas proteínas corporais.

Sendo um aminoácido essencial, a valina não pode ser produzida pelo corpo e deve, por isso, ser ingerida através de alimentos ou suplementos. A quantidade diária recomendada de valina é de 15ml no caso dos adultos e de 25ml para as crianças. Esses valores não devem ser ultrapassados em demasia, uma vez que o consumo exagerado deste aminoácido pode causar alucinações e prejudicar o funcionamento do fígado e dos pulmões.

A valina é consumida frequentemente por culturistas, juntamente com a leucina e a isoleucina, para estimular o crescimento muscular. Dado que a maior parte dos atletas não ingere na alimentação suficiente valina para garantir a saúde muscular, tomar suplementos é para eles altamente recomendado.

Entre os alimentos com alto teor de valina estão o requeijão, o peixe, a carne, os amendoins, sementes de sésamo e lentilhas. Também os cogumelos, a soja, o arroz e os feijões contêm valina.

Quais são os benefícios da valina?

- A valina contribui para o tratamento de doenças no fígado e vesícula biliar.

- Estimula o crescimento muscular e fornece energia ao corpo.

- Facilita a reparação dos tecidos musculares e ajuda a sarar feridas.

- Combate a insónia e o nervosismo.

- Ajuda a suprimir a sensação de apetite.

- Regula o sistema imunitário e o metabolismo.

- Melhora a resistência física.

- Ajuda a manter a quantidade adequada de nitrogénio no corpo.

O que diz a ciência sobre a valina?

Uma investigação quis testar as evidências científicas anteriores de que os exercícios de resistência podem ser potenciados através da suplementação com BCAA’s essenciais. Numa compilação de estudos realizados anteriormente, este relatório deu conta de que a suplementação com BCAA essenciais – leucina, valina e isoleucina – tende a reduzir as dores musculares nos seres humanos [*1].

Por último, um estudo científico quis analisar o efeito da suplementação com aminoácidos de cadeia ramificada nos danos musculares após treino de resistência. Juntando nove indivíduos, com experiência de ginásio pelo menos quatro vezes por semana há mais de um ano, o estudo estabeleceu um conjunto de exercícios para os indivíduos praticarem.

O estudo verificou que a quantidade de creatina sérica decresceu 27% com a toma de 5g de BCAA’s (2,5g de leucina, 1,25g de isoleucina e 1,25g de valina). Os investigadores concluíram que os BCAA’s podem ter um papel no provimento de energia aos músculos ou no decréscimo do catabolismo musculares após exercícios de resistência [*2].

______________________________________________________________________________________

REFERÊNCIAS OU NOTAS:
[*1] – Luz, C. et al (2011) (Potential therapeutic effects of branched-chain amino acids supplementation on resistance exercise-based muscle damage in humans, Journal of the International Society of Sports Nutrition 2011, 8:23 (LINK)
[*2] – Marangon, A. et al (2010), Effect of supplementation of branched chain amino acids in muscle damage induced by resistance training, Journal of the International Society of Sports Nutrition 2010, 7 (LINK)
Leave a Reply